Os riscos de uma dieta vegana, se não o fizer de forma adequada

Ser vegano é sinônimo de pessoa saudável. Está na moda, apesar de que a maioria de seus seguidores não seguem esta dieta por moda, mas por convicções morais e/ou éticas.


No Reino Unido, por exemplo, nos últimos dez anos aumentaram em 350% o número de pessoas que seguem uma dieta vegana.


Veganismo é mais um estilo de vida, uma dieta em si mesma. É isso que lhe dá força e não a coloca no mesmo montra das dietas convencionais.
Hoje hoje vou centrar-me apenas falar sobre os riscos de ser vegano, sem os conhecimentos nutricionais adequados. Antes de ser atacado por muitos fervorosos adeptos deste estilo de vida, deixar que me explique!! Eu disse sem os conhecimentos nutricionais adequados! Você pode seguir esta dieta perfeitamente se você sabe como fazê-lo.


Para quem não saiba ainda. Uma pessoa vegana, é aquela que não come carne nem nenhum de seus derivados. É dizer que não ingere ovos ou produtos lácteos. De fato, nem sequer contempla a mel. Há veganos, que ainda vão mais longe e não comem vegetais cozidos. Dieta que é conhecido como vegan cru.


O problema de excluir um grupo tão grande de alimentos, com um grande conteúdo de nutrientes essenciais e específicos, é que requer muitos conhecimentos por parte de quem a pratica, para não sofrer carências nutricionais. Normalmente quem segue a dieta por convicções religiosas, morais ou por alguma razão de peso têm os conhecimentos necessários para garantir um aporte de nutrientes correto e compensar as carências provocada por não comer carne, nem nenhum de seus derivados. Em contrapartida, quem segue a dieta por moda, ou porque Angelina Jolie ou Paula Echeverría sobe uma foto no instagram comendo uma tigela imaculado de salada, costuma fazer isso sem um planejamento adequado e também costuma acabar em desastre…para não falar das crianças. Esta falta de planejamento pode vir a causar sérios problemas em seu desenvolvimento e na sua saúde em geral.


1. Deficiência de vitamina B12


A vitamina B12 é fundamental para evitar cair em problemas de anemia e para manter nossos glóbulos vermelhos saudáveis. De fato, a vitamina a o que faz é ajudar na formação dos globulosa vermelhos e daí que o seu défice provoque uma diminuição dos mesmos, e, como conseqüência, a anemia.


Também é fundamental na manutenção do sistema nervoso central e por este motivo, os mais pequenos podem sofrer de problemas neurológicos ou atrasos no crescimento, se falta desta vitamina. Daí que, entre a maioria dos profissionais de saúde e nutricionistas, tenhamos chegando a um consenso, onde acredita-se que uma dieta saudável deve ser baseada principalmente em alimentos de origem vegetal, mas sem excluir os alimentos de origem animal. do todo. No caso de crianças, não é recomendada a dieta vegana, recomendando incluir alimentos de origem animal em pequenas ou moderadas quantidades. Eu acho que


Em contraposição, as associações de vegetarianos acreditam que as crianças podem levar uma dieta vegana com o respectivo suplemento de vitamina B12.


2. Carência de ferro e cálcio


Se bem que é muito simples obter o ferro e o cálcio, seguindo uma dieta que contemple o consumo de alimentos de origem animal, a coisa muda, se deixamos de lado a carne e seus derivados.


Se somos veganos e não queremos que nos falte ferro e cálcio, deve-se adquirir conhecimentos para ser capazes de identificar os alimentos vegetais com alto conteúdo destes minerais. Mas não apenas isto, mas que teremos que aprender a tirar o máximo partido. Isso significa que, por exemplo, não é suficiente saber que as lentilhas são muito ricas em ferro e podem se orgulhar de ter, tanto quanto o de algumas carnes, mas devemos aprender que sem um ambiente ácido, que facilita a absorção do ferro, o nosso organismo não pode assimilá-los, nem se beneficiar dele. De aqui vem o de acompanhar as lentilhas com suco de laranja, ou se tiver adicionado a saladas, não esquecer do vinagre.


Isso mesmo acontece com muitos alimentos, assim que devemos saber com o que podemos ou não podemos misturá-los, como há que cozinhá-los e até mesmo salvá-las. Como eu escrevi no início do post, ain um planejamento adequado e consciência, uma dieta vegana pode provocarnos sérios problemas de saúde.


Vegetais ricos em ferro: Feijão, espinafre, nozes, acelga, feijão, alcachofra, beterraba, couve lombarda…etc.


Vegetais ricos em Cálcio: Couve, nozes, leite de soja, brócolis, acelga, tofu, sementes de chia..etc.


Minha opinião é que uma dieta que inclua alimentos de origem animal, em quantidades moderadas, é benéfica para a nossa saúde e enriquece a nossa alimentação. Há que se lembrar que, dentro da pirâmide alimentar ou nutricional, as carnes magras, aves, peixes, ovos, leite e seus derivados são alimentos de consumo diário. Não tê-lo em conta seria manchar o trabalho de muitos especialistas na área da nutrição, que após muitos anos de pesquisa, demonstraram os benefícios que nos traz cada um dos alimentos que compõem essa pirâmide.


Também entendo perfeitamente que, por diversos motivos, as pessoas são livres de escolher não comer carne. Isso é de se respeitar e, como disse, com os conhecimentos adequados, pode ser muito saudável e sem provocar um impacto ambiental tão grave e protegendo os animais. Isso é de se respeitar, sem lugar a dúvidas, como se sempre de respeitar aqueles que seguem uma dieta sem restrições alimentares. A tolerância é básica, não apenas temas de nutrição…


Na minha opinião, devemos reduzir a ingestão de carne, já que a maioria fazemos em excesso e isso provoca um grave problema ambiental.


De uma coisa eu tenho certeza, se fosse vegano e tivesse a mínima dúvida sobre se a saúde de meu filho pode correr perigo, no caso de que lhe fizesse tomar meus hábitos nutricionais, não pensaria duas vezes e iria fazer o que fosse melhor para o seu desenvolvimento e bem-estar. A saúde de um filho está acima de qualquer razão moral, ética, religiosa.. e ainda por cima de minha própria saúde.